sábado, 18 de agosto de 2012

Orlando! (RJ)


Foto: divulgação

Exemplo da boa programação do Festival deTrupe 2012

            “Orlando!” é uma livre adaptação da obra homônima da inglesa Virgnía Woolf (1882-1941), lançada em 1928. Dirigido por Flávio Souza e interpretado por alunos da Escola de Teatro Martins Pena, o texto foi concebido a partir um processo colaborativo entre os envolvidos, incluindo outros autores como Marina Colassanti. O espetáculo faz parte da 2ª edição do deTrupe – Encontro Internacional de Grupos Teatrais, uma mostra não competitiva de teatro, realizada pelo Grupo Milongas. “Orlando!” participou da Mostra Universitária.
            Flávio Souza e seu elenco contam a história de uma maneira bastante teatral. Orlando, um jovem protegido da Rainha Elizabeth I, tem o dom da eternidade. Um belo dia, acorda mulher, mas ainda se lembra do seu passado enquanto homem. Na obra de Woof, eis aí um dos seus trabalhos mais populares, o ritmo da narrativa age no sentido de equilibrar a passagem do tempo narrativo (350 anos) com o tempo da narração (o número de páginas do romance). “Orlando” é conhecido por ser um dos clássicos da literatura moderna, sobretudo, pelo trato com a questão do gênero. Na análise da peça, o adjetivo “teatral”, quer chamar a atenção para a exploração da potencialidade cênica dos signos, para o movimento, para a metáfora, para o jogo entre os atores na encenação. Há vários atores interpretando o mesmo personagem, as marcas são postas de forma equilibrada e viva, os quadros são sempre ricos em possibilidades de sentido. A narrativa flui muito mais pela composição das cenas do que pelos diálogos, o que diminui a força da literatura, sem desvalorizá-la, construindo o teatro.
            “Orlando!” versa sobre o homem e a mulher e os relacionamentos de uma forma bastante inteligente, o que é difícil e, talvez por isso, raro. Tratam-se dos encontros e dos desencontros no que se refere a amor, amizade e a laços familiares delicadamente. A construção argumentativa, que não é retórica, oferece momentos cômicos e em que também há o convite para a emoção de jeito que todos os diferentes níveis do assunto são tratados de forma humana, o que aproxima positivamente o público da cena.
            No elenco, estão André Mutran, Anna Luiza Mendes, Bárbara Abi-Rihan, Douglas Amaral, Raoni Costa,Tânia Roessing e Vanessa Dias, com destaque positivo para Ricardo Rocha, Samuel Paes de Luna, Vanessa Úrsula e Viviane Pereira. É fácil sentir que o grupo é integrado, coeso em suas ações, preocupados em dar a ver um belo espetáculo. Os destaques vão pela forma aparentemente leve, mas pontual com que alguns atores dizem o texto. Há neles graça, carisma e marcas de verdade.
            Flávio Souza é figurinista conhecido no Rio de Janeiro por excelentes trabalhos. Como, por isso, não poderia deixar de ser, “Orlando!” tem ótimos usos dos elementos visuais. Cenário, luz e figurinos são, além de bonitos, úteis à narrativa na medida em que oferecem possibilidades ao jogo e à construção do sentido. O mesmo se deve dizer da trilha sonora.
            Nessa edição do deTrupe, participaram também os espetáculo “Sinfonia Sonho” e “É culpa davida que sonhei ou dos sonhos que vivi”, que também são ótimas produções. Nesse ano, o projeto/evento, que contou com investimento da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, ofereceu além de boa programação, oficinas e debates que aprofundaram o encontro entre os diversos grupos participantes. Aplausos à iniciativa!

*

Ficha Técnica:
Direção: Flavio Souza
Dramaturgia: criada em processo colaborativo
Elenco: André Mutran, Anna Luiza Mendes, Bárbara Abi-Rihan, Douglas Amaral, Raoni Costa, Ricardo Rocha, Samuel Paes de Luna, Tânia Roessing, Vanessa Dias, Vanessa Úrsula e Viviane Pereira.
Duração: 100 min.
Classificação: 16 anos

3 comentários:

  1. Obrigado pelas considerações, Rodrigo!
    Foi um prazer tê-lo em nossa platéia!

    Se quiser nos acompanhar, nos siga no facebook!

    http://www.facebook.com/Orlandooespetaculo

    Um grande abraço,

    Orlando!'s

    ResponderExcluir
  2. Lindo o espetáculo. Guaçuí, em seu festival, foi brindado com uma excelente montagem. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Belo espetáculo. Guaçuí, em seu festival, foi brindado com uma montagem de qualidade técnica e emocionante. Todos os prêmios recebidos pela companhia foram merecidos.

    ResponderExcluir